Blog

Let’s explica: quantos fluidos diferentes tem o seu carro?

Que atire a primeira pedra quem nunca foi surpreendido pelo frentista ou pelo mecânico diante de perguntas como “E o fluido do freio, está ok? E a água do radiador?”. Mesmo com as revisões em dia, é comum questionar se está mesmo tudo bem com os óleos do carro.

O carro necessita dos óleos – ou fluidos – em cinco partes principais: transmissão (câmbio), freios, radiador, direção e, obviamente, no motor.

Neste artigo, vamos falar sobre a função e a importância de cada tipo de óleo, além de quando é recomendada a troca de cada um dos itens.

Óleo do motor

O óleo mais conhecido e mais importante de qualquer veículo é o do motor. O lubrificante é o responsável por fazer com que o conjunto trabalhe na temperatura ideal de funcionamento e por minimizar o atrito entre os componentes metálicos móveis internos do propulsor.

Por isso mesmo, o óleo do motor talvez seja o que mais desperta a atenção dos motoristas, sempre de olho nos prazos de troca. Isso é fundamental para que o motor dure mais, trabalhe melhor e consuma menos combustível.

Fique atento

De modo geral, os automóveis de passeio demandam a substituição do lubrificante a cada 10 mil km (para óleos sintéticos) ou 5 mil km (para óleos minerais). A troca, inclusive, está prevista nas revisões obrigatórias dentro da garantia dos modelos 0 km – geralmente acompanhadas da mudança do filtro de óleo, que também é recomendada a cada 10 mil km ou 12 meses, o que ocorrer primeiro.

O prazo das montadoras para a troca de óleo de motor é confiável, mas pode ser preciso reduzir esses prazos entre 20% e 30% caso você faça uso severo do veículo (rodar em trajetos curtos e rápidos muitas vezes ao dia, ou majoritariamente em estradas de terra ou em áreas de mineração).

Também é importante respeitar o tipo de óleo recomendado pelo fabricante. Eles se dividem quanto ao tipo (mineral, semissintético ou sintético) e ao índice de viscosidade. Colocar óleo com densidade, classificações ou origens diferentes das recomendadas pela montadora pode gerar problemas como a formação de borra e aumento do consumo de combustível, até a quebra do motor (e aí vale a máxima de que o barato pode sair caro).

Óleo de câmbio

Outro fluido bastante importante. Também conhecido como “óleo da caixa”, ele geralmente demanda prazos de troca maiores – alguns fabricantes pedem a troca apenas após 240 mil km rodados.

De toda forma, o ideal mesmo é seguir as recomendações que constam no manual do veículo. Se você não tiver o manual ou ele não indicar nada referente ao óleo da transmissão, convém fazer a checagem a cada 20 mil km.

Fluido do freio

Esse item merece uma atenção especial porque sua vida útil é definida com base no tempo de uso, e não pela quilometragem rodada. Isso porque a solução usada absorve água e umidade. Em média, a troca é exigida em intervalos que variam de 2 a 5 anos – fique de olho no seu manual.

Também é preciso ficar atento quanto ao tipo de fluido recomendado pelo fabricante. Quando o óleo perde suas propriedades, há o risco de formação de bolhas em razão do calor liberado pelos freios, o que vai diminuir a eficiência de frenagem do carro.

Direção hidráulica

A direção elétrica atualmente domina o mercado, mas ainda há muitos carros com sistema de direção hidráulica. A verificação desse fluido deve seguir o recomendado pela montadora, mas os prazos geralmente variam de a cada 30 mil km ou 40 mil km.

Líquido de arrefecimento

OK, esse não é um óleo, mas incluímos na lista por ser um fluido importante e geralmente subestimado. A água do radiador precisa desta substância para aumentar o seu ponto de ebulição e reduzir o ponto de congelamento e a corrosão interna do propulsor,  ou  seja: para que o conjunto esteja sempre na temperatura ideal.

As trocas destes aditivos são recomendadas no manual, em média, a cada 30 mil km. Mais uma vez deve-se respeitar o tipo de produto indicado pelo fabricante: inorgânico, orgânico ou híbrido. Esse fluido geralmente é vendido concentrado e deve ser misturado à água desmineralizada. Mas também existem soluções prontas, já diluídas , também deve-se estar monitorando o nível recomendado.

Sempre inspecione o local onde seu veículo fica parado e em caso de respingos de óleo ou líquido de arrefecimento procure seu mecânico de confiança para que avalie de onde provém este vazamento.

Conheça a Let’s

A Let’s é uma empresa especializada na terceirização de frotas, tanto para veículos leves quanto para pesados (além de implementos e equipamentos). Um de nossos diferenciais é a assistência para manutenção especializada – que terá condições de avaliar a qualidade e a necessidade dos filtros de ar, por exemplo.

Fale conosco para conhecer nossas soluções!

Tags:

, , , , , ,

Você também pode gostar